RESCALDO – Guarda – Albufeira em 28Horas

Sai da GarBike as 20h e fui para casa ultimar os preparativos para esta mega aventura e descansar o que consegui, pois o estado de ansiedade era enorme e a vontade de arrancar ainda maior. Dormi 40min e acordei sobressaltado com medo d me ter atrasado. Acordei as 23h e jantei pela 2ª vez massa para atestar as reservas.

A partida foi feita na GarBike, onde se juntaram amigos e familiares que fizeram questão de nos ver arrancar para esta jornada, que teve inicio à meia noite em ponto.

Ao chegar à Covilhã tivemos um problema, o espigão de selim do David cedeu. Problema que foi resolvido em Castelo Branco com um espigão e aperto novo trazido pelo pai do David. A Gardunha já estava para trás, faltava chegar até Nisa para entrarmos em terreno plano que nos iria levar praticamente até as portas do Algarve.

Para já chegámos a Évora pelas 11,30h mas os últimos km tinham sido feitos numa estrada com o piso degradado que nos desgastou bastante. O João estava com problemas nos joelhos e já falava em desistir algo que felizmente não aconteceu, aliás ninguém fugiu a este pensamento uns mais tarde outros mais cedo. A paragem foi feita no McDonald de Évora que serviu para nos alimentar e dormir algo que não aconteceu devido a forte temperatura, por este motivo estivemos parados 3h sem pregar olho.

Arrancamos com um calor insuportável e decidimos rolar devagar para não desidratarmos em demasia, andávamos a 20km/h onde poderíamos facilmente andar a 40km/h. Até Ferreira do Alentejo tivemos média de temperatura de 41graus e máxima de 46graus!! Paramos em Ferreira com o intuito de jantarmos e arrancar mas aquela fonte olhou para nós e nós para ela, e de fonte passou a jacuzzi!

Acabamos por não ir a jantar ao restaurante e comemos os mantimentos que levávamos. Aqui todos conseguimos dormir o que deu muito jeito. Eu dormi e “desliguei” completamente, fui à lua e voltei, quando acordei perdi um pouco a noção da realidade, parecia que tinha aparecido ali de pára-quedas e sentia-me bastante ensonado, a sensação mais parecida que me lembro é de ter acordado da anestesia geral quando fui operado ao apêndice, estava atordoado de todo e dorido. Quando arrancamos já escurecia e o calor já era, estava finalmente uma temperatura aceitável. O ritmo aumentou consequentemente, e eu tinha o tendão de Aquiles no pé direito a entrar em dificuldade! Na entrada na IC1 iniciávamos o ataque final que tinha 80kms muito desgastantes devido ao constante sobe e desce, já todos se queixavam de algo. Eu já não conseguia empurrar o pedal direito para baixo, apenas o puxava para cima. Esta estrada têm muito movimento o que nos obrigava a atenção redobrada.

A parte final foi dolorosa para mim particularmente, mas todos já íamos muito desgastados, já pedalávamos à mais de 24h e estávamos a vencer subida atrás de subida. Vencemos um acumulado jeitoso nestes últimos km que pareceram uma eternidade, cada subida parecia uma subida a Torre na Serra. Eu nos últimos 15kms estava em sofrimento com o tendão, o pé direito estava praticamente imobilizado, já não conseguia fazer força de maneira nenhuma, e a subir tinha que desencaixar o pé à mão e pedalar apenas com o pé esquerdo! Finalmente começamos a chegar ao final da IC e a ver muitas luzes, estávamos a chegar e felizes com o nosso feito apesar de muito cansados.

Em resumo foi uma aventura e tanto em que passamos por um indeterminado número de estados de espíritos e sensações, o desgaste maior foi mesmo a falta da cama, a dor de rabo e mãos, as pernas ao contrário do que imaginei aguentaram-se bem. O cansaço foi  tal que nem comemorámos como deve ser este feito!!

No dia seguinte acordamos e praia com eles. Eu fiz recuperação activa com uns 3kms de corrida, seguido de caminhada, o tendão apesar de inchado não me doía, que era um bom sinal, seguiu-se a hidratação de cevada e para finalizar fizemos uns 500mtr a nadar. Ehehe

Toda esta aventura só foi possível graças ao empenho de cada um no planeamento da aventura, e ao forte espírito de sacrifício e espírito  de grupo que ao contrário do que era esperado se manteve intacto e bastante forte.

Obrigado aos irmãos Filipe e Michael que seguiram no carro de apoio, e claro a todos aqueles que nos apoiavam constantemente com SMS, VALEU. 😀

Estatísticas:

+ de 55 litros de Água consumida

Tempo total: 28Horas

Tempo a pedalar: 18 Horas e 35 min

Distância TOTAL: 472.9Km

Acumulado Total: 3305 mt

Energia consumida total: 10197Kcal

Guarda – Évora

a pedalar: 9h e 40 min –  Distância: 269,3Km  – Velocidade média:27.8Km/h

Temp média: 25ºC   – Temp Max:39ºC  – Temp min:16ºC

Altitude média: 355mt –  Altitude Max: 857mt – Altitude min: 105mt

Pulsações Médias:129bpm – Enrgia consumida: 5921Kcal – Ascensão: 2055 mt

Évora – Ferreira do Alentejo

a pedalar: 3h e 14 min –  Distância: 70,8Km  – Velocidade média:22Km/h

Temp média: 40ºC   – Temp Max:46ºC  – Temp min:35ºC

Altitude média: 208mt –  Altitude Max: 299mt – Altitude min: 128mt

Pulsações Médias:115bpm – Enrgia consumida: 1610Kcal – Ascensão: 280 mt

Ferreira do Alentejo – Albufeira

a pedalar: 5h e 41 min –  Distância: 132,8Km  – Velocidade média:23.3Km/h

Temp média: 26ºC   – Temp Max:30ºC  – Temp min:25ºC

Altitude média: 159mt –  Altitude Max: 286mt – Altitude min: 45mt

Pulsações Médias:114bpm – Enrgia consumida: 2666Kcal – Ascensão: 970 mt

(Rescaldo também em: http://www.j-rodrigues.com)

Anúncios

4 thoughts on “RESCALDO – Guarda – Albufeira em 28Horas

  1. Pingback: RESCALDO – Guarda-Albufeira em 28Horas « GarBike Guarda – Loja de Bicicletas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s